01/08/2015

O encontro do Mestre Shinran com uma estranha mulher



Sekizan Myôjin

Há uma interessante narrativa sobre um episódio da vida do Mestre Shinran durante o período em que ele estava mergulhado em práticas ascéticas no Hieizan. No Sekizan Myôjin, ele tem um encontro inesperado com uma bela e estranha mulher. O Sekizan Myôjin é um templo afiliado ao Enryaku-ji do Hieizan, seu nome oficial é Sekizan Zen-in e é também um templo shintoísta (Jinja) protetor da capital Kyoto, trata-se de um exemplo de sincretismo entre Budismo e Shintoísmo.
No 9º ano da Era Kenkyû (1198) Shinran tinha 26 anos de idade. Diante do Sekizan Zen-in uma bela mulher, fiel budista pede-lhe para subir com ela ao Hieizan. Shinran responde-lhe que a montanha, segundo o Mestre Dengyô Daishi (Saichô) como devia ser do conhecimento dela, era proibida às mulheres*. Portanto ele não poderia acompanhá-la neste propósito.
Com sua resposta, Shinran esperava que ela se conformasse mas é surpreendido ao ouvi-la perguntar se o Mestre Dengyô nunca teria lido nos Sutras a afirmação 一切衆生 悉有仏性 (Issai Shujô Shitsu U Busshô – todos os seres viventes possuem sementes para tornarem-se Budas, todos os seres viventes têm a natureza búdica inerente). E prossegue: “Será que nesta montanha não habitam fêmeas de pássaros e animais selvagens? Se dizem que a fêmea é impura e macula a montanha com sua presença, então a montanha há muito está impura com a presença das fêmeas de pássaros e animais. Mas se a montanha aceita fêmeas de pássaros e animais, por que não aceitaria a fêmea humana? O Budismo apregoa que os seres humanos, bois, vacas, cães, gatos, insetos possuem a mesma Vida Sagrada. Então por que nesta montanha existe discriminação entre as fêmeas de animais e a mulher? Afirmando que somente a mulher humana é impura, diferente das fêmeas de animais, isso não estaria contradizendo os Ensinamentos?”
Mestre Shinran é conhecido como o primeiro monge a abandonar o celibato e casar-se. Este episódio da sua vida através das palavras aguçadas desta mulher, fizeram com que o Mestre deparasse com a contradição imposta no Hieizan, contrapondo o claro ensinamento de que todos os seres viventes, incondicionalmente, serão salvos. Este episódio mais o sonho que teve mais tarde no Rokkaku-Dô em que Kannon Bosatsu lhe diz que se manifestará em forma de mulher para juntos difundirem o verdadeiro Ensinamento, é que fizeram o Mestre Shinran buscar pelo Mestre Hônen.
Existem teorias de que o Mestre Shinran mais tarde teria se casado com ela, sendo sua primeira esposa, antes de Eshin-ni.
                O episódio encerra-se com um pedido da estranha mulher: “Venerável, peço-lhe que torne-se um Bom Mestre para as mulheres desta Era Final e que dedique-se profundamente em fazer com que a Compaixão do Buda alcance todos os seres viventes.”  E assim, tirou da manga de seu kimono, embrulhada em seda branca, uma gema preciosa que ofereceu ao Mestre Shinran dizendo: “Esta é uma joia que ilumina a profunda escuridão da noite.  Por favor, seja o Mestre que guia os humildes e desprovidos que habitam o vale (as terras abaixo do Hieizan). E assim dito ela desapareceu.
Hieizan visto de Kyôto

               


*Saichô baseava-se no 五障 (Goshô – os 5 Impedimentos), uma orientação bastante posterior ao falecimento do Buda, tomada por algumas linhagens, em que se afirmava que as mulheres não poderiam se tornar (ou alcançar o mesmo estágio de) nem Brahma, nem Indra, nem Mara, nem Cakravartin (aquele que gira a Roda do Samsara – transmigrações) e nem Buda. E no 三従 (Sanshô – 3 Obediências) que afirma que a mulher limita-se a obedecer o pai quando criança, o marido quando casar-se e os filhos quando viúva. O Goshô-Sanshô são preceitos do Hinduísmo baseados no Código de Manu. E assim concluía-se que às mulheres não seria concedida a Salvação.

Sayuri Tyô Jun

Nenhum comentário:

Postar um comentário