03/10/2015

Hôwa – Transmissão do Dharma para o Rito de Equinócio de Primavera (Templo Apucarana Nambei Honganji 27-09-2015)



Boa tarde a todos. Sejam bem vindos a este Rito de Equinócio de Primavera. Até cerca de dois dias atrás, estávamos acostumados a reclamar ‘mas que calor é esse?’ e de repente esfriou e tive que sair tirando do armário as roupas de inverno novamente. E tivemos até mesmo um tornado em Mauá da Serra, estávamos em São Paulo e só soubemos depois. Que grande susto não? É a natureza se vingando dos maus-tratos que lhe causamos.
Bem, enfim a primavera. O ano já está terminando, e nosso inverno de muito calor já passou e nem sentimos o frio.

Já estava sentindo falta de estar aqui com vocês dirigindo-lhes minhas palavras. Este ano foi um ano atarefado aqui para o Higashi Honganji.
Em março no Rito de Equinócio de Outono tivemos a ilustre presença do Rev. Otani, Mestre das Missões e nosso futuro Grão-Mestre da Ordem, junto com o Rev. Kikuchi. Nós por costume e afetividade, costumamos chamar o Rev. Otani pelo nome próprio ‘Otani-san’ ou ‘Choyû-san’, mas atualmente seu título pelo qual ele é chamado no Japão é ‘Nôji-in’. Como ele já estava de mudança para o Japão, foi a despedida dele com os fiéis deste templo, o último que ele visitou. Aliás, aproveitando o ensejo, em agosto nasceu o primeiro neto do Nôji-in-san, um menino saudável e lindo que representa a 28º geração de descendentes do Mestre Shinran, uma linhagem sucessória que ultrapassa 800 anos de história.
Em abril tivemos a Cerimônia de troca de Superintendente/Provincial. Uma cerimônia que não ocorria há anos. Saída do Rev. Kikuchi e entrada do Rev. Obata.
Em maio tivemos o Hanamatsuri com a presença do Superintendente empossado Rev. Obata e o Rev. Abe (Tesoureiro da Missão).
Ainda em maio tivemos os festejos de 65 anos de fundação do Templo Shoshin-ji de Assaí e o evento da Associação de fiéis (Shinto-kai Rengokai) do Higashi Honganji do Paraná.
Em agosto tivemos a reunião de Lideranças dos templos do Paraná com a presença de leigos dos Templos do Paraná e do Rev. Abe e Rev. Nawa, este já retornou ao Japão, foi também a ocasião de nos despedir, com a promessa de um reencontro em breve, no Japão.
Em agosto ainda tivemos nossos Ritos de Finados Budista, com a presença do Rev. Sasaki de Assaí.
E na semana passada tivemos o Congresso Dobo região do Paraná em Maringá. E nós tivemos ainda a Cerimônia de 50 anos de falecimento de meu avô paterno, em Assaí.
Repassando essas atividades, percebo quanta coisa fizemos, quantas coisas passamos juntos.

Bem, em se tratando de Ohigan, no Japão é época em que as famílias visitam os túmulos de seus entes falecidos. Nós aqui estamos entrando na primavera, mas no Japão, do outro lado do mundo, é exatamente o contrário, lá é equinócio de outono. Vocês já devem ter ouvido muito sobre o Ohigan não é mesmo? Ohigan significa a outra margem, mas vocês já pensaram sobre isso? Outra margem? Nossa margem do lado de cá é o nosso mundo Saha, o mundo das ilusões. A margem do lado de lá é o Jôdo, a Terra Pura. Se a outra margem é a Terra Pura, o que vocês aspiram encontrar lá? O que, ou quem vocês esperam encontrar do outro lado?

Este ano, para nós, foi um ano muito triste. Tivemos muitas perdas. Perdemos dois cães muito amados e nosso gato também morreu. Uma senhora do Fujinkai do Betsuin de São Paulo, muito minha amiga, também foi para a Terra Pura. Um primo de 59 anos também faleceu repentinamente, com problemas no coração. E por fim tivemos o falecimento do Sr. Kamiguchi. Todos atravessaram para a outra margem. Soube ontem pela internet que uma professora dos meus tempos de estudante de colégio de freiras, faleceu também, era a Irmã Maria Bernarda, lembrar-me dela trouxe-me boas recordações. Ela dirigia a Kombi do colégio, era uma Kombi azul que ela dirigia loucamente pelas ruas de Maringá. E sempre que nos via, seus estudantes na rua, agitava os braços nos cumprimentando efusivamente, com o véu de freira agitando ao vento. Isso como crianças que éramos, era extremamente constrangedor.
 Todos nós sofremos e ainda sofreremos pela separação por morte, é sabido que é uma experiência que se já não passamos, um dia todos nós teremos que passar, teremos que sentir a dor da perda para a morte. E é nesses momentos que percebemos o quão impotentes somos diante da morte. Quando ainda estava muito sentida com minhas perdas, escrevi para o meu Professor Orientador no Japão, relatando os acontecimentos daqui. Ele me respondeu com uma mensagem de uma linha e duas palavras: “É triste, é doloroso.” Ao ler, só pude concordar agradecida.

Há cerca de 2 anos atrás a Rev.ª Emy (filha do falecido Provincial Urabe), como é de conhecimento de todos, perdeu seu filho de 28 anos, o segundo filho, de maneira estúpida, brutalmente assassinado. Na semana passada participamos de um seminário conjunto entre o Nishi e o Higashi Honganji, na matriz Betsuin do Nishi Honganji em São Paulo. E neste curso alguém levantou a seguinte questão ao professor-convidado, o Rev. Yûhei Ueno: O que dizer para uma mãe que perdeu seu jovem filho? Como consolá-la? O professor disse que não há nada a ser dito a não ser solidarizar-se com o sofrimento da jovem mãe. Nisso levantou-se a Rev.ª Emy e relatou-nos o seguinte: “Não importa o que se diga, num momento desses não conseguimos ouvir nada. Nada pode nos consolar. Eu que fui criada num templo, filha de monge, por um certo tempo, não consegui pronunciar Namu Amida Butsu. Só queria que ficassem comigo sentindo a minha dor.” 

Desta maneira, as palavras de meu professor começam a ficar mais claras, não é mesmo? “É triste, é doloroso”. Se transpormos essas palavras para que o Buda Amida completasse, acho que Ele diria: “É triste, é doloroso. Sua dor é minha dor, sofro com você, na mesma angústia”. Este é o Grande Coração Compassivo do Buda Amida.

Meu professor assim prosseguiu em outra mensagem: “Penso que envelhecer, acumulando os anos em nossas vidas, também significa que vamos acumulando perdas. Ao nascermos, praticamente não possuímos nada, mas agora adultos que somos, agarramos coisas e mais coisas em nossas mãos. Sendo que na verdade tudo vai desaparecendo, é apenas uma questão de retornarmos às nossas origens, mas nós nos entristecemos e sofremos, será que é porque somos humanos? Mas mesmo em nossas perdas nós obtemos ganhos.” (Rev. Futoshi Takehashi)

Quanto mais envelhecemos, mais pessoas partem para posteriormente nos encontrarmos na Terra Pura. Porém, o que obtemos dentro disso tudo? Nós obtemos a certeza de que mereceremos a Grande Compaixão do Buda Amida e a sua Terra Pura. Ao envelhecermos, para qualquer um de nós, o número de pessoas que falecem em nosso círculo é maior que o número de nascimentos, não é mesmo?

Para tanto, o mundo da outra margem é o mundo do Buda Amida. Um mundo que ultrapassa as fronteiras do tempo e do espaço, um mundo onde todos somos iluminados pela Luz de Compaixão. O mundo da Terra Pura é onde reencontraremos aqueles que se foram antes, o mundo onde não há mais separações. E é para alcançarmos esse mundo do Buda Amida, que recitamos Namu Amida Butsu.
Hoje, o que eu gostaria que vocês levassem daqui do Oterá (templo budista) para casa de mais importante é o significado do Ohigan como sendo a outra margem, o mundo de Amida, a Terra Pura. Um mundo onde não há separações e como está escrito no Sutra de Amida, na expressão “Kuê Issho”, um lugar onde um dia, todos nós estaremos juntos. E a margem de cá, o nosso mundo Saha, é um mundo onde temos invariavelmente que nos deparar e sofrer com as separações. Onde todos temos que viver e passar pela experiência da separação pela morte daqueles que amamos.
Hoje, diferentemente da maneira como costumo me expressar, queria repassar a todos, o que senti nestes últimos tempos. Se almejamos o Jôdo, a Terra Pura, vamos recitar Namu Amida Butsu, é tudo o que nos resta.
Muito obrigada pela atenção de todos.
Gasshô
Shaku-ni Tyô Jun



春彼岸法話 27-09-2015

こんにちは、春彼岸法要へようこそ。三日前まで一番口に出す言葉は「暑いですね」と口癖になっていましたのが、急に冷えて、冬着をまた出して着ました。マウアでは先週竜巻があったそうですね。私たちはサンパウロへ行っていましたので、知らなかったんです。
いよいよ今年もうすぐ終えてしまい、暑い冬はもう過ぎ去ってしまい、寒さなんて感じませんで、もう春ですね。

こうして、皆さんに向かって話すことも久しぶりですね。今年は東本願寺はなかなか忙しかったです。
3月の秋彼岸では大谷先生と阿部先生と菊池監督がお見えになりました、実は大谷先生じゃなくて。私たちは親しく「ちょゆうさん」と言いますけど日本では「能慈院さん」でございますと注意させます。ちょうど日本行く前でしたから、「お別れ会」。ちなみに、能慈院さんは8月に孫さんが生まれましたので、ブラジルへ来られました。長女のリサさんの赤ちゃん、男の子です。この赤ちゃんは親鸞聖人から28代目、800年間の歴史のつながりです。
4月は別院で入退残式(輪番・監督さんの変わる法要、何年ぶりに)。
5月の花祭りには新しい監督さん尾畑先生と阿部先生が見えました。
5月はまだパラナ信徒会連合会の演芸会もアサイの65周年法要でした。
8月には役員会議で名和先生が日本へお帰りなさった。お互いに「また日本で会いましょうね」と言いながら。
8月お盆は佐々木先生が来られました。
先週はマリンガでのパラナ地区同朋研修会も。またはアサイでは祖父の50回忌でした。考えてみると、色々ありましたね。

さて、お彼岸になると、日本では今は秋彼岸でお墓参りする時期です、私たちブラジルは地球の日本から裏側でこちらは反対ですね。みなさんはお彼岸の意味はもうたくさん聞いてきまして、「向こう岸」のことですね。しかし、あちらにある向こう岸なんて、どう思っていますか。こちらはこの私たちが生きている世の中です、娑婆世界、迷いの世界。あちらはお浄土。あちらはお浄土なら、皆さんは何を願いますか。なに、だれに逢いたいですか。

今年は私たちにとっては、悲しい年でした。いろいろの「失い」が起こり。可愛がっていた二匹の犬が死に、猫も死んじゃって、別院の親しい婦人会の方も、59歳のいとこと上口さんも亡くなりお浄土へ生まれにいかれました、向こう岸へ渡りましたということですね。そして昨日子供ころから知っていた先生で尼さんが亡くなられたことを知らせました。私は幼稚園から大学入学まで同じカトリックの尼さんの学校で勉強しました。その尼さんは青いKombi(昔のワーゲンヴァナゴン)を運転し、町を走り回っていた元気な尼さんでした。生徒を見ると、大げさに挨拶して、子供の私たちは恥ずかしかったのです。懐かしい思い出です。

誰にでも死に別れの悲しさはあります、いつか感じらせることに違いないんですが、その場になると、何もできないことに気づかせるのですね。
自分で悲しんで落ち着かない状態でいることを日本の指導先生に伝えると、先生の返事は一行に二つの言葉でした「寂しい、悲しいです」と。これを読んだ途端、そうだねとうなずくしかないでした。

二年ほど前にエミ先生(浦部先生の娘さん)みんなご存知でしょうが、次男の若い息子さんが亡くなりました。実は殺された息子さんです。先週サンパウロのお西の別院でお坊さんの研修会へ行ってきました。そこで出た質問は「子供を失った、亡くなられた若い母親になに言って上げたらいいか、どうしたらいいでしょうか。」と質問が出てきました。そのときエミ先生は言いましたのは、「何言われても心はなぐさめられない。自分はお寺育ちのお坊さんの娘でありながら、一時、南無阿弥陀仏は言えなかった」と。「一緒になってただ気持ちを分かってほしかった」と。

ですから、先生がおっしゃった「寂しい、悲しいです」が分かってきますか。これは阿弥陀さまの言葉と言い直したら「寂しい、悲しいです。あなたの痛みはわたしの痛みでもあり、あなたの悲しみを共に悲しむ、苦悩を共々に。」これが阿弥陀仏の大慈悲の心であり
次のメールでは「齢を重ねるということは 失ってゆくことだと思います。生まれた時にはほとんど何も持っていないのに、今はいろいろなものを握りしめています。それが無くなってゆく、元に戻るだけ なのに悲しかったり、苦しかったりするのは人間だからでしょうか。そして失うことで得るものもあるのでしょう。」と。(竹橋先生より)

歳をとるほど、お浄土で会える亡くなられた方が増えるということですね。しかし、その中に得るものとは阿弥陀さまの慈悲の世界、お浄土です。歳をとると誰にでも一年間には生まれてくるより、亡くなってしまう数のほうが多いでしょう。

ですから、向こう岸のお浄土の世界は 阿弥陀さまの世界です。時間を越えた世界、誰でも慈悲の光に照らされる世界です。
亡くなられた方と再び会える、別れのない世界がお浄土、阿弥陀様の世界です。
このお浄土へ行かれることを私たちどう願ったらいいのか、それが南無阿弥陀仏を称えること。私たち何もできないので、ただ南無阿弥陀仏を言うことしかありません。

今日は皆さんがお家へ帰られて、なにをお寺で聞きましたか、大切にしたいと思うのはまず、お彼岸の意味です。向こう岸のことは阿弥陀さまの世界、お浄土です。別れの無い世界で阿弥陀経に書いてありますように、「倶会一処」いつかどこかでみんな一緒になる。それからはこちらも岸は私たち生きている別れていかなければならない世界です。死に別れていくことはみんなに与えられる経験持ちながら生きていくのです。
今回は皆さんへいつもと違って、考え感じらせたことを伝えたかったのです。
お浄土を望むなら、南無阿弥陀仏を称えることしかありません。

長時間お聞き下さって、どうも有難うございました。

(釋尼澄純)
Flores do Higan (Higanbana) do Templo Tôji em Kyoto


Nenhum comentário:

Postar um comentário