08/04/2017

A Fé e a Transmissão do Dharma



“A Fé é a verdade, é a realidade, é a sinceridade, é a totalidade, é o auge, é a realização, é a finalidade, é a seriedade, é a iminência, é o resultado da Originação Dependente.”
(Jôdo Monrui Jushô – Mestre Shinran – Shinshû Seiten p. 414)

Fé é uma palavra que muitas vezes nos induz a acreditar em algo ou alguém, cega e entusiasticamente (ou por vezes obstinadamente), sem questionamentos. Sendo o questionar logo de início condenável, pois já implica em duvidar, anulando o sentido de comprometimento com a crença, abalando a validade dessa fé.

O Mestre Shinran, fez da expressão Jishinkyôninshin 自信教人信 do Mestre Zendô Daishi (Chan-tao 613-681):  “Você mesmo deve ter fé, para assim ensinar os outros e fazê-los crer também” - uma orientação prática para a transmissão dos Ensinamentos recebidos de seu Mestre, Hônen Shônin.

“Ensinar os outros e fazê-los crer” pode soar um tanto arrogante e unilateral, mas a palavra ‘fé’, aqui refere-se à palavra sânscrita ‘Prasāda’[1] termo usado pelo Buda Shakyamuni, que não usava ‘Bhakti’ (amor, devoção ao divino). ‘Prasāda’ significa clarear a mente, acalmar o coração, purificar o coração turvado de paixões mundanas. Tem o sentido de manifestação do sagrado. Ou seja, é a expressão da Verdade. Nessa fé está contida a Mente Búdica obtida pelos Mestres antecessores.

O Mestre Shinran repudiava a ideia de impor uma fé cega através da simples crença no carisma de um mestre ou do fanatismo religioso. O Shinjin (Fé Verdadeira) é transmitido naturalmente de coração para coração, como na expressão Ishindenshin 以心伝心[2], que significa a compreensão dos sentimentos de uma pessoa para outra, sem necessidade de se expressar em palavras. Originariamente é uma expressão budista muito usada nas linhagens do Zen, que significa a transmissão da profunda essência dos Ensinamentos do Dharma, inexprimíveis em palavras, mas que passa diretamente do coração do Mestre para o coração do discípulo.
Para o Mestre Shinran, os Ensinamentos foram-lhe concedidos pelo seu Mestre, Hônen Shônin, e confiando plenamente de todo coração no Ensinamento do Nembutsu, retransmitiu-os para aqueles que tiveram o En (condicionamentos) de escutar os Ensinamentos do Dharma, almejando que estes também confiassem como ele mesmo confiou. E assim, esses que ao escutarem os Ensinamentos obtiverem a Fé nos termos de Prasāda, estão aptos a transmitir para os outros. Este é o conteúdo do Jishinkyôninshin 自信教人信, o coração verdadeiro que almeja que todos os seres viventes alcancem a alegria, a serenidade de um coração confiante na salvação do Nembutsu.


[1] Em sânscrito existem 3 palavras que designam a palavra ‘Fé’: Prasada: purificação, satisfação, coração puro e transparente. Adhimukti: fé nascida da compreensão, saber/crer. Sraddha: (termo aparentado do latim credere), depositar a verdade em. 


[2] A origem da expressão 以心伝心 está no Keitokudentôroku 景徳伝灯録 onde está descrita a transmissão do Dharma, de coração a coração entre o Buda Shakyamuni e seu discípulo Mahākaśyapa, logo após a entrada no Nirvana do Buda.


Sayuri Tyō Jun



Nenhum comentário:

Postar um comentário